Entenda como funciona a inspeção veicular

 

A inspeção veicular é um processo executado para avaliar o estado de conservação e funcionamento dos veículos quanto à conformidade em relação aos regulamentos técnicos. As inspeções estão previstas nos artigos 104 e 106 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

A inspeção de que trata o artigo 106 do CTB, que faz referência a modificações no veículo, como, por exemplo, instalação de GNV, é realizada por organismos de inspeção acreditados pelo Inmetro e licenciados pelo Denatran.

 

Inspeção inicial do veículo com sistema GNV

 

Documentos exigidos:

 

  • Documento do veículo ou nota fiscal;
  • Nota fiscal de serviço de instalação;
  • Atestado da qualidade da instalação;
  • Nota fiscal do kit GNV com discriminação dos itens;
  • Autorização do Detran (senha);
  • Veículo abastecido no mínimo 180 bar de pressão de GNV;
  • Certificado do cilindro para cilindros novos.

 

Inspeção periódica do veículo com sistema GNV

 

É obrigatória a realização de inspeção veicular a cada 12 meses, contados a partir da data da última inspeção veicular.

 

Documentos exigidos:

 

  • Documento do veículo;
  • Selo do GNV;
  • Veículo abastecido no mínimo 180 bar de pressão de GNV;
  • Documento de identificação do condutor do veículo;
  • Nota fiscal quando o kit GNV passar por troca de algum componente;
  • Atestado da qualidade quando o cilindro for instalado por instaladoras após a requalificação ou sofrer manutenção dos componentes de GNV.

 

Requisitos iniciais para inspeção de segurança veicular visual

 

É verificado o estado de conservação do veículo: lataria, vidros, espelhos retrovisores, ferramentas, triângulo, limpadores de para-brisa, estado de conservação dos pneus, para-sol, cintos de segurança e funcionamento do painel de instrumentos.

É verificada a conformidade da instalação dos componentes de GNV:

  • Redutor de pressão;
  • Válvulas de abastecimento;
  • Linha de baixa pressão;
  • Fixação da bateria;
  • Ponto de aterramento de GNV;
  • Identificação da válvula de abastecimento;
  • Manômetro;
  • Válvula de corte rápido de GNV;
  • Verificação de possíveis vazamentos nas conexões entre a linha de baixa e alta e componentes de GNV;
  • Verificação do kit GNV;
  • Número do cilindro redutor;
  • Selo do cilindro;
  • Certificação dos componentes de GNV;
  • Verificação da fixação do suporte do cilindro e dimensionamento correto das cintas;
  • Verificação do estado geral do cilindro de GNV.

 

Linha de inspeção e inspeção em fosso (inspeção mecanizada)

 

  • Verificação do alinhamento das rodas;
  • Verificação do sistema de suspensão;
  • Verificação do sistema de freios;
  • Verificação do circuito de freio;
  • Estado geral dos discos;
  • Tambores de freio e válvulas, quando aplicável;
  • Verificação do sistema de suspensão, amortecedores, eixos, batentes, molas, braços e calços, além dos grampos;
  • Verificação do sistema de direção e articulação, pivôs, balança, coifas, buchas e sistema de exaustão;
  • Verificação da presença de folgas, elementos articulados como pivô e balança.

    Componentes do sistema de GNV verificados no fosso

     

  • Verificação do percurso;
  • Fixação e proteção da linha de alta do sistema GNV;
  • Verificação da existência e posicionamento do sistema de ventilação da válvula do cilindro de GNV.
  • Análise de gases e iluminação

     

    Nesta etapa, são verificados os sistemas de sinalização e iluminação do veículo: setas, luz de freio, lanternas de posição e faróis.

    Também são avaliados os componentes de controle de emissões, os níveis de concentração dos gases monóxido de carbono e hidrocarbonetos.

     

    Entrega da documentação

     

    Após a aprovação na inspeção veicular, serão emitidos os seguintes documentos:

  • CSV – Certificado de Segurança Veicular;
  • CI – Certificado de Inspeção;
  • Selo GNV.
  • Caso o veículo seja reprovado, será emitido o relatório de não-conformidade, apontando os itens que necessitam de correção.

    O motorista terá 30 dias corridos para solução dos problemas identificados. Caso ultrapasse esse prazo, será necessário realizar uma nova inspeção.

     

    Fonte: vídeo produzido por ASSINSP-RJ e CREA-RJ.

     

Assine nossa newsletter