GNV em carro hatch é uma boa?

A diferença de projeto automotivo coloca o hatch como um carro mais compacto e com o porta-malas reduzido quando comparado com um sedã. Essa característica do modelo leva alguns motoristas a questionarem: “GNV em carro hatch é uma boa?”

O carro hatch tem o bagageiro posicionado logo atrás do banco traseiro. A porta desse compartimento inclui o vidro de trás, o que não ocorre no modelo sedã, que tem essa área separada e acessada por uma tampa.

Com o cilindro de GNV instalado no porta-malas do hatch, vai sobrar pouco espaço para que o bagageiro cumpra seu papel original.

Abrir mão do armazenamento é válido se o motorista entender que a economia alcançada com o gás é o que mais importa para a sua realidade.

A instalação de GNV nos carros compactos exige um planejamento muito bem feito. É preciso analisar quais são as demandas do motorista, o volume do porta-malas e, além disso, o estado geral do automóvel.

O primeiro passo para essa avaliação é contar com uma instaladora homologada no Inmetro que possa elaborar o projeto ideal para cada caso, de forma a manter a segurança e o bom desempenho do veículo.

É possível optar por um único cilindro maior, o que praticamente inutilizaria o bagageiro para outros fins, optar por menor ou até mesmo, se o motorista precisa de autonomia, instalar dois cilindros.

Veja também:

 

Faça a sua instalação com a Inove Gás

 

Não importa se seu carro é hatch, sedã ou SUV. O cuidado na hora de escolher a instaladora deve ser o mesmo.

Com a rede Inove Gás, o motorista fica tranquilo, já que todas as lojas são homologadas no Inmetro.

Funciona assim: o cliente apresenta sua necessidade e a equipe Inove Gás prepara um projeto para atender o caso, levando em conta o modelo, o estado de conservação do carro e o uso que será feito daquele veículo (particular ou comercial, por exemplo).

Conte com a qualidade e experiência da Inove Gás para definir a melhor configuração para seu hatch e para te ajudar a tirar maior proveito das vantagens do GNV!

Assine nossa newsletter