GNV pode passar a ser vendido por quilo

Inmetro alega que comercialização do GNV por quilo é benéfica para o consumidor, enquanto entidades se preocupam com os efeitos para o segmento.

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) pretende regulamentar a mudança de padrão de comercialização do GNV do atual metro cúbico (m³) para quilograma (kg), conforme anunciou em dezembro do ano passado.

Acesse o site do Inmetro para mais informações sobre a publicação da portaria referente ao tema.

Segundo o órgão, isso deve ocorrer ainda no primeiro semestre de 2020, com prazo de dois anos para que revendedores e distribuidoras de combustíveis façam os ajustes necessários em seus instrumentos e se adaptem à medida.

Essa mudança tem como objetivo minimizar as perdas durante o abastecimento com o combustível, já que o gás não tem densidade linear. O padrão atual dá margem para fraudes na venda do produto, o que não ocorreria mais na medição em massa (por quilo).

Sob essa perspectiva, o gás automotivo, que já não sofre adulteração em termos de qualidade, ganharia mais uma vantagem diante dos combustíveis líquidos. Com a venda por quilo, segundo o órgão, seria mais difícil fraudar também a quantidade de GNV comercializada nos postos.

A nova forma de medição afeta diretamente o mercado distribuidor e revendedor, que vai precisar investir na adaptação.

Por isso, a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) tem se posicionado de maneira contrária à proposta do Inmetro.

O argumento é que seria criada uma “distorção econômica”, levando o GNV a ficar aparentemente 35% mais caro para o consumidor. As entidades se preocupam também com o desestímulo ao uso e à instalação de novos kits gás, o que geraria prejuízos para as empresas que operam no segmento.

Confira aqui o posicionamento da Firjan.

A sociedade pode contribuir com sugestões e críticas à portaria até meados de abril de 2020. As manifestações devem ser encaminhadas para o Inmetro no formato da “planilha padronizada para contribuição dos requisitos de metrologia legal” (acesse aqui). O e-mail para envio é: diart@inmetro.gov.br.

Assine nossa newsletter