Dúvidas frequentes sobre o Gás Natural Veicular (GNV)

1. O que é GNV?

O Gás Natural Veicular (GNV) é uma mistura combustível gasosa, tipicamente proveniente do gás natural e do biogás, destinada ao uso veicular e cujo componente principal é o metano, observadas as especificações estabelecidas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

2. Como o gás natural é armazenado no veículo?

Por ser muito leve, o gás natural precisa ser comprimido à pressão de serviço de 200 a 220 kgf/cm2 e armazenado em cilindros de aço.

3. Como deve ser o cilindro de armazenamento de GNV?

O cilindro deve ser de aço especial, de alta resistência para GNV (NBR 11439 ou ISO 4130), com 8 mm de espessura, sem emendas nem soldas.

Os cilindros para GNV passam por testes rigorosos, estabelecidos por normas técnicas e são certificados por organismos acreditados pelo Inmetro.

4. Como é feita a instalação do cilindro no veículo?

Na grande maioria dos casos, o cilindro é instalado no porta-malas do veículo. Em alguns modelos, é possível realizar a instalação na parte inferior do veículo.

5. O gás natural armazenado é seguro?

Sim. Todo o sistema é projetado para a segurança do uso do gás natural: cilindros e componentes, como redutores de pressão, válvulas de alívio e de excesso de fluxo e sistema de ventilação.

6. Quais cuidados devem ser tomados na conversão?

Primeiramente, a conversão só deve ser feita em oficina homologada pelo Inmetro.

Devem ser exigidos: a nota fiscal, o Certificado de Registro de Instalador (CRI), emitido pelo Inmetro para fazer o registro de conversão do Detran, laudo(s) de certificação do(s) cilindro(s) e atestado da qualidade do instalador registrado.

7. Como verificar se a oficina é homologada no Inmetro?

Consulte as oficinas credenciadas no Inmetro no próprio site do órgão: clique aqui.

8. O veículo convertido para o GNV polui menos?

Sim. A queima do gás é mais limpa e a redução de poluentes chega a 70% em relação à gasolina.

9. Usar o GNV é seguro?

O GNV é mais leve que o ar, o que faz com que se dissipe rapidamente na atmosfera, reduzindo o risco de explosão ou incêndio.

O cilindro tem 8mm de espessura e não possui emendas nem soldas, sendo resistente a choques e colisões.

O sistema conta com um dispositivo de segurança que fecha a válvula automaticamente, minimizando qualquer vazamento.

Além disso, o kit e os cilindros são dimensionados para 220 kgf/cm² de pressão máxima, o que deve ser respeitado durante o abastecimento.

O uso do GNV é muito seguro, desde que a instalação seja feita em uma convertedora certificada pelo Inmetro e que sejam utilizados cilindros e componentes conforme as orientações.

As normas de segurança relacionadas à conversão do gás natural veicular são extremamente rígidas e seus controles são mais rigorosos do que a maioria das normas relacionadas a outros itens do veículo, por exemplo.

10. É verdade que o GNV é mais econômico se comparado aos combustíveis líquidos?

Sim. O GNV proporciona uma média de economia de até 65% sobre o valor do litro da gasolina. Além disso, o gás tem um rendimento 20% maior em relação à gasolina e 50% maior em relação ao álcool.

11. Quais são as principais vantagens do GNV?

O GNV tem menor preço, melhor rendimento, polui menos e gera menos desgaste ao motor. Além disso, como incentivo ao uso do produto, alguns estados oferecem descontos no IPVA para quem roda com o gás, como é o caso do Rio de Janeiro.

12. O veículo perde potência com o GNV?

Desde que o sistema seja instalado adequadamente, a perda de potência é insignificante.

13. É verdade que a perda de potência no kit de 5ª geração é menor do que no de 3ª geração?

Sim, justamente pelo fato do gás, com o kit de 5ª geração, ser injetado direto no coletor de admissão, fazendo com que a queima desse combustível seja mais eficiente.

14. O GNV pode ser adulterado?

A inviolabilidade é mais um dos benefícios do GNV. O gás já parte da distribuidora para o posto por meio de dutos e com sua qualidade atestada, ficando armazenado sob alta pressão. Não é possível romper o sistema para alterar as características do produto gasoso nos postos. Fraudes na composição do produto são tecnicamente inviáveis.

15. É possível reaproveitar um kit GNV em outro veículo?

Sim. É possível a retirada do equipamento de um veículo e a reinstalação do kit GNV em outro carro. Essa prática costuma ser adotada por motoristas que trocam de carro, mas querem continuar utilizando o gás.

16. GNV pode ser instalado em qualquer carro?

O kit gás pode ser colocado em qualquer automóvel movido à combustão. O ideal é que o veículo passe por uma avaliação completa, que leve em conta o seu porte, modelo, estado de conservação, tamanho do porta-malas e as necessidades do motorista.

17. O carro flex se adapta ao uso do GNV?

Sim. Esse tipo de veículo se adapta bem à mudança para o GNV. Com a conversão, em geral, deve-se escolher se o carro será usado combinado com o etanol ou com a gasolina.

18. Instalei GNV no meu carro. Preciso continuar utilizando etanol ou gasolina?

Sim. Seja qual for o combustível líquido que se ajuste melhor à conversão, será preciso manter pelo menos ¼ do tanque abastecido. Isso é importante para evitar o ressecamento de partes do motor, mantendo o bom funcionamento dos componentes originais. A ausência de etanol ou gasolina no veículo convertido pode desencadear um curto na bomba de combustível, provocando incêndio.


Fontes: Abegás, ANP, Naturgy, Petrobras Distribuidora, Blog Inove Gás.